terça-feira, 11 de março de 2008

Serviços bancários

Olá !

Quando decidimos vir para a Irlanda, deixamos algumas contas no Brasil: nosso apartamento (ainda na planta) e um financiamento estudantil. Pensei que com a cotação do Euro eu conseguiria dar conta do recado, era só mandar um dinheirinho todo mês pra minha conta e tudo estaria OK.

Bem, abri uma conta por aqui no Bank of Ireland para receber meu salário. Tudo correu bem, já uso os serviços online (que funcionam satisfatoriamente), então era hora de fazer uma transferência para minha conta no Brasil. Ao acessar o online banking, na seção de transferências internacionais, observei que o Brasil não faz parte dos países no qual você consegue transferir dinheiro online. Teria que ir a uma agência.

Fui a minha agência, pedi uma transferência internacional. Preenchi um formulário, paguei a quantia módica de €40 para fazer a transferência e aguardei alguns dias.

Quando recebi a notificação de recebimento no Bradesco, eles pediram para eu comparecer na agência para assinar um papel, para então o dinheiro cair na conta. Impossível, claro, mas pensei: "Que saco, podia ser automático, mas meu pai tem uma procuração de poderes totais, é só ele ir lá e resolver isso por mim"

Claro, antes de viajar eu deixei uma procuração pro meu pai poder resolver os pepinos que aparecerem no caminho.

Qual não foi minha surpresa quando o banco rejeitou a procuração, alegando estar faltando uma linha escrita lá: poderes para efetuar operações de câmbio. Detalhe: paguei aprox. R$150 nessa procuração, e ela me deixou na mão na primeira vez que precisei dela...

Depois de muita briga, resolvi cancelar a operação, pois a grana (era uma quantia substancial) ficou parada um mês no limbo, sem cair na minha conta, sem render juros, nada ! E ainda tive que pagar U$30 pra cancelar a operação. Obrigado, Bradesco !

Depois de mais de um mês, tinha o dinheiro de volta aqui na Irlanda e perdi €50 em taxas que não me ajudaram em nada.

Felizmente existe o pessoal da Brasil for All (http://www.brasilforall.com) que agem como intermediários da Real Transfer, e oferecem serviços de transferência de dinheiro para o Brasil. Taxas de câmbio justas e apenas €5 por transferência ! Foi o que me salvou. O pessoal lá é super profissional, recomendo.

Eles inclusive deram a dica de não mandar grandes quantias de uma só vez, pois os bancos são obrigados a avisar o governo, aí o 'Leão' vem abocanhar sua parte...

Um comentário:

Helena disse...

Olá,
Já tinha lido este post, mas só hoje tive mais uns minutinhos.
Antes de mais, ainda bem que voltaram a escrever. Continuem pf. Gosto de ler as vossas matérias.
Agora vou comentar porque também tenho uma procuração do meu marido, para o substituir uma vez que ele foi para NZ à procura de uma oportunidade.
Podem acreditar, como aqui em Portugal já não há procurações com "plenos poderes" tem que se por todos os poderes que queremos dar. Aí nós recorremos à nossa advogada por ela saber toda a nossa hitória de vida.
Mesmo assim, quis pedir um novo cartão multibanco para o meu marido, embora eu faça parte da conta bancária, mentira... a procuração não diz explicitamente poder "requisitar cartão" e tem muitas mais situações, não posso cancelar a o contrato com a operadora do telemovel dele, não posso sair com as nossa filhas menores, do País,(não diz que ele delega o poder paternal em mim) ou (que posso deslocar-me com elas para fora do País)enfim uma data de pepinos(como os brasileiros dizem), mas posso vender e registar todo o nosso património móvel e imovel, posso representar nas finanças, justiça, correios, e uma infinidade de coisas.
Não é óbvio que se ele me deu todos aqueles poderes, também quer que eu trate de tudo o resto?
E a nossa advogada não saberia que iria ser assim?
Como vêm não é só no Brasil. Na Europa, Portugal também!!!!!
Abraço
Lena